sexta-feira, novembro 05, 2010

Visões do Brasil


Muitos dos vsitantes do 100 Cabeças são cidadãos brasileiros. Por aqui (leia-se em Portugal) as notícias e artigos de todo o tipo de jornais referem-se com frequência ao Brasil. São perspectivas tomadas deste lado do Oceano Atlântico. As eleições para o presidente (a presidenta) fizeram chover torrencialmente notícias, reflexões, opiniões e mais que Deus tenha inventado, sobre o Brasil. O Brasil é uma paixão antiga, um amor por resolver.
Fico sempre curioso como verão os brasileiros aquilo que nós deles vemos. Por isso deixo aqui este link e mais este, para textos de Rui Tavares que saíram no jornal Público e estão no seu blogue. Da parte que me toca parecem visões interessantes e que me merecem um crédito razoável. Será tanto assim?

6 comentários:

Eduardo P.L disse...

Respondendo sua pergunta, já que estou incluído entre os brasileiros que acompanha seu blog:
O Rui Tavares fez duas boas interpretações da política e políticos brasileiros! Tem a tendência de endeusar o Lula, como de resto toda a mídia do mundo. Não é todo dia que um mau operário ( em poucos meses num torno mecânico, perdeu um dedo...aposentou-se e nunca mais trabalhou...) chega à presidência da república por duas vezes e acaba seu governo com 83% de aprovação. Tem grande apelo midiático. É inteligente.Sabe se comunicar com o povo. Agora, os outros adjetivos que usam para descreve-lo, quem o conhece de perto, sabe tratar-se de exageros e fanatismo.
Quando diz que fazer esgoto não dá voto, mas atende aos pobres, tem toda razão, e nos oito anos de seu governo só fez colher votos, deixando de enterrar esgotos, mas distribuindo bolsas de toda ordem. Não sei qual dos dois é mais perverso: bolsas ou viadutos? De qualquer forma ficou provado que bolsas rendem mais votos! Mas elas não podem ser eternas! É preciso ensinar a pescar, e não dar o peixe! Lula, como bom analfabeto que é, não investiu em EDUCAÇÃO. O brasileiro esta menos preparado para o presente, sem se falar no futuro, do que há oito anos atrás!
Educação e saúde são as prioridades do Brasil, e infelizmente nenhuma dessas duas áreas, que acarretam uma terceira que é SEGURANÇA, foram alvo dos governos Lula. E não parecem ser metas da nova presidente!
Quanto à comparação de Obama e Lula, quis o autor do texto comparar duas coisas que não tem comparação. Tem até certa graça literária, mas esta longe de ter bases objetivas de comparação. No Brasil de hoje, sem partidos constituidos, com filosofia, ideologia e metas claras, não se pode contrapor aos dois partidos que importam nos Estados Unidos! E falar de esquerda e direita americanos, e tentar uma semelhança com a esquerda sul americana, é outra piada! Não cito direita na América do Sul, porque de fato não há! No máximo temos centro esquerda, e centro direita, mas nada parecido com Republicanos!
Paro por aqui, porque minhas longas análises não levam a nada. E quem perdeu uma eleição há menos de uma semana, não tem o direito de criticar um governo que nem começou! Mas da sinais de que será muito complicado governar com maioria de Governadores querendo ressuscitar a CPMF,e o vice presidente querendo mandar muito além do que seu partido deveria e poderia, pelo apoio dado eleitoralmente ao PT. Vamos ver no que vai dar!

Silvares disse...

Eduardo, fico grato pela sua exposição. Deu para perceber que a visão de Rui Tavares tem algumas qualidades e alguns defeitos. Como todas as visões políticas (no caso dele nem sempre) está um pouco distorcida pela área de pensamento do autor que é deputado europeu eleito pelo Bloco de Esquerda. Mais uma vez: grato pela sua exposição.

Anónimo disse...

não li ainda o texto do Rui Tavares. E também por ser brasileira, vou dar meu pitaco, acho que as conquistas do Governo Lula deixaram muito atrás as conquistas do governo FHC. A presidente eleita não é a candidata ideal, e tem o vice que não dá pra engolir. Mas pelo menos no estado de São Paulo, há 16 anos que o PSDB está no poder e não conseguiu implementar uma política pública educacional por exemplo eficaz que colocasse o Estado como modelo para outros estados. Teve tempo e grana pra isso. E outra, quero um governo que é aberto ao diálogo. Eu sigo votando e acreditando no projeto de governo que fez o que parecia impossível,ser possível. A miséria no Brasil é um monstro tão grande que convivemos com ele todo dia, basta sair de casa e esquecemos que ele está lá. Quem não votaria em um projeto que fez com que vc , que não comia, passasse a comer!
vai longe esse papo. então paro aqui.
bjs
madoka

Silvares disse...

Madoka, por vezes tenho a sensação que a imagem da Europa (da União Europeia) é demasiado bonita quando olhada de fora. Talvez a questão seja a nossa proximidade em relação à realidade. Uma coisa é visitar, outra coisa é habitar. Quando habitamos dificilmente ficamos satisfeitos. Quando visitamos facilmente sentimos deslumbramento e afeição.
Grato pelo comentário.

Lina Faria disse...

Silvares,
Não sejamos maniqueístas nem façamos proselitismo.
Ha muito de caricato e pitoresco no estilo Lula de ser. Mas ha a grande verdade de que houve em sua gestão melhor distribuição de renda, coisa que um sociólogo não conseguiu.
Ele vive me irritando - se ha governo, sou contra - mas acho que ha a necessidade desse governo ter a chance de continuidade. Democracia é isso. Vamos tentando.

Mas, sobre o Lula, grande personagem. Para o bem e para o mal!

Silvares disse...

Lina, eu vim atrás e aqui está você.
:-)
Não tinha lido este comentário.
O Lula, aqui em Portugal, até que é bem visto pela maioria da população.