segunda-feira, maio 09, 2011

Olhos que não vêem...


Como em qualquer bom filme de terror, é mais interessante aquilo que não vemos do que o sangue expressamente representado. O terror pode ser dado pela expressão de uma personagem e não pela navalha a perfurar a pele. Assim ficamos a "ver" a morte de Bin Laden pelas expressões das personagens que assistiam à função em plena "situation room". O espectáculo foi exclusivo para os grandes semhores da guerra norte-americanos. O que eles viram dificilmente viremos a saber.
"O mundo de cada um é os olhos é que tem" e o que os olhos vêem é o que nos vai construindo a personagem que somos. Diz o povo que "olhos que não vêem, coração que não sente". Talvez... talvez...

4 comentários:

expressodalinha disse...

Há filme co H. Ford que é tal e qual. Não me lembro o nome. A plateia é que estava mais acomodada. Tinha champanhe e tudo... Estamos em austeridade.

the dear Zé disse...

ainda vai sair nos cinemas, talvez realizado pelo Oliver Stone e seguramente candidato a 1 ou 2 oscares, nomeadamente dos melhores efeitos especiais...

Olaio disse...

Rui, esta senhora está habituada a "engolir" coisas (se calhar) mais grossas, isto para ela devem ser peanuts.

Silvares disse...

Jorge, Dear Zé, a ficção e a realidade são a mesma coisa?

Olaio, passo a grosseria da tua frase (maldosa?) mas lembro-te que com "peanuts" também nos podemos engasgar.
:-)

PS tenho andado com alguns problemas em aceder ao Blogger através do computador que normalmente utilizo, tenho de entrar por vias alternativas, daí que tenha estado tanto tempo ausente....