quinta-feira, junho 14, 2012

Prometeu

Ridley Scott realizou muitos filmes mas guardo na memória dois mais um. Os restantes nem por isso. Os dois que guardo são, quanto a mim, os filmes que lançaram as bases mais sólidas do género "ficção científica": Alien e Blade Runner. Neles Scott criou, pela 1ª vez, ambientes cinematográficos convincentes, dando corpo e forma a mundos impossíveis e, até aí, nunca antes vistos. O outro (aquele "mais um") é "The Duellists", não recordo o título em português. Um épico pesadão que se desenrola na época das invasões napoleónicas com uma atmosfera e uma recriação histórica que me agradam. Nada que se chegue aos calcanhares de um Barry Lyndon, de Kubrick mas, ainda assim, um filme que se vê com uma dose de fascínio q.b..

Vem este pequeno exercício de memória a propósito do recentemente estreado Prometeu ou Prometheus, já que o título deste filme não é adaptado à língua de Camões. Se em Alien ou em Blade Runner, Scott e as suas equipas conseguiam criar ambientes de ficção recorrendo a truques, muitas vezes, quase pueris, em Prometeu a coisa sobe uma escadaria de 500 degraus em direcção à espectacularidade.

Além dos efeitos especiais, de uma eficácia cristalina, o filme conta com um elenco de luxo onde se destaca Michael Fassbender no papel de David, o andróide.


Naoomi Rapace constrói também uma personagem bastante credível que, na cena final, deixa tudo em aberto para uma nova investida do realizador nesta trama de argumento. Não vou estar para aqui a contar a história deste filme que, mais uma vez, se situa sobre aquela ambígua linha que une mais do que separa o filme de terror do filme de ficção científica. A não perder para quem gosta do género. A evitar por quem não está disponível a deixar-se levar até planetas distantes habitados por seres capazes de fazer chorar de pavor o mais empedernido dos deuses do Olimpo.

8 comentários:

Alberto Gonçalves disse...

Um blog de extremo bom gosto e rigor conceptual e gráfico. Gosto da serenidade e lucidez da crítica.

expressodalinha disse...

Vou ver.

Silvares disse...

Alberto, grato pela visita.

Jorge, não é nada do outro mundo, quero dizer, é do outro mundo mas... não é, entendes-me?
:-)

expressodalinha disse...

Claro. Adorei Blade Runner.

the dear Zé disse...

eu cá gostei e recomendo
(se bem que aquele final depois do final... na sei, parece-me um bocadinho forçado)

Beto Canales disse...

Sem dúvida imperdivel

Silvares disse...

Jorge, um filme marcante!

Zé, é preciso agradar a gregos, troianos e, mesmo, espartanos.

Beto, concordo.

fada*do*lar disse...

Tenho absolutamente que ver.
Hum... mas não te esqueças que o Star Wars saiu um tudo nada antes do Alien, acho... (digo isto por causa dos "mundos impossíveis até aí nunca antes vistos")

AH! É verdade, a fada está (outra vez) de volta! :D
E desta vez com mais convicção.
Beijinhos e saudades