quinta-feira, junho 21, 2012

Portugal

Tenho estado a evitar falar de futebol, apesar do campeonato da Europa da modalidade. Mas, que porra! Hoje não aguento mais. A selecção portuguesa acaba de carimbar o passaporte para a meia-final e já não consigo fazer de conta que não estou a reparar.

Eu sei que os jogadores são isto e aquilo fora do campo. Que são vaidosos (aqueles penteados...), que são limitados culturalmente (aquelas birras, aquelas declarações...) mas, dentro do campo, temos ali verdadeiros intelectuais.

Ronaldo é um cientista, Moutinho um geómetra exemplar, Nani uma espécie de poeta incompreendido e Coentrão é uma pequena máquina de fazer mal ao adversário. O Nosso Mister, Paulo Bento, até mudou o penteado ridículo por uma coisa mais sóbria e tem demonstrado uma capacidade invejável na gestão da empresa que é a nossa equipa de futebol.

O nosso problema é meter a bola na baliza adversária. Ao longo de um jogo criamos inúmeras oportunidades de o fazer mas, na hora da verdade, fica a sensação de que temos pena dos adversários. Rematamos ao lado, rematamos ao poste, atiramos por cima ou contra o cú do defesa adversário. Há quem diga que se o futebol fosse um jogo sem balizas Portugal ganhava sempre. Mas não ganha sempre, é preciso marcar golos para ganhar.

Como de costume andamos meio esquizofrénicos. Se ganhamos podíamos ter ganho por mais. Se perdemos (como aconteceu no primeiro jogo contra os monstros alemães) foi porque tivemos azar (e tivemos mesmo).

Agora ficamos à espera de saber se jogamos contra a Espanha ou com a nossa "bête noire". a odiosa França do irritante Michel, o Platini.

A novidade é que, desta vez, venha quem vier é encarada com grande confiança. Podemos ganhar ou perder, mas, por uma vez, não estamos cagados de medo. O que se passa? Estará Portugal a mudar? Será que as novas sonoridades do Fado estão a surtir efeito no espírito lusitano?

Seja o que for, venha quem vier, Portugal está a viver com uma calma inesperada a campanha deste Europeu. Pessoalmente desejo que sejamos campeões. Espero por isso desde que me lembro de ser quem sou. Já lá vão quase 50 anos...

14 comentários:

rui sousa disse...

Rui, clubites à parte ( e eu sou do Sporting ), parece-me haver um denominador comum, uma identidade nesta selecção que tem que ver com o facto de a coluna vertical da selecção ter saído da Academia do Sporting. São cinco que jogam regularmente ( Nani, CR., M. Veloso, J. Moutinho e R. Patrício ) e mais cinco sentados no banco ( Varela, Quaresma, Custódio, H. Viana e Beto ) e juntamos a estes jogadores o facto de o treinador ter iniciado tb a sua carreira nos juniores do Sporting. Há uns meses atrás alguém em Inglaterra com responsabilidades no futebol, alertava para o facto de num futuro próximo a Inglaterra correr o risco de não ter selecção, pelo facto de não haver espaço para eles nos clubes ingleses. Devíamos pensar seriamente nisto e tirarmos daqui as devidas conclusões. Quando se pensam as coisas a médio longo prazo os resultados aparecem, infelizmente a forma como o futebol é gerido neste mundo ( e principalmente em Portugal ) não dá espaço para que clubes que investem na formação consigam lucrar com isso, com a excepção talvez do Barcelona. Isto para dizer que de facto tb tenho vibrado imenso com a selecção como já não me lembro há muito tempo, mas para mim o que me enche mais a alma é saber que por trás de tudo isto há um trabalho enorme de gente anónima mas enormemente profissional e competente que acredita no resultado do trabalho e não no dinheiro fácil, ao contrário de todos esses agentes que depois aparecem sempre nunca se sabe bem de onde a colher os frutos que os outros semearam.

Silvares disse...

Rui, é sina sportinguista (também sou adepto do Sporting apesar de alguns dirigentes odiosos que temos de gramar demasiadas vezes) criar grandes jogadores e vê-los brilhar noutras paragens. Mas esta selecção tem essa marca. No jogo de ontem também estava o Figo no bancada.
:-)
A verdade é que o Sporting, por ter menor poder económico que os rivais, aproveita muito mais os putos na equipa principal e eles crescem ali. Enfim... força Portugal.

Anónimo disse...

Assisti ao jogo (aos outros também da Eurocopa)
e mesmo sendo "pé-frio" tenho acertado os palpites.
O próximo adversário de Portugal não quero nem pensar já pensando...
Certamente este jogo não conseguirei assistir; meus nervos não aguentam e meu irônico coração estará partido ao meio.
...
Vi muito rápidamente (pq foi mesmo de sopetão) mas não era o Euésbio junto ao Figo na arquibancada?

Li Ferreira Nhan

Anónimo disse...

"Eusébio"

Silvares disse...

Sim, era o Eusébio. Está muito velhinho mas continua a funcionar como talismã. Pelo menos ele acredita nisso!
:-)

Luma Rosa disse...

Tem a possibilidade de ser campeão, por que não?
Bom fim de semana!!

Li Ferreira Nhan disse...

Gosto dos velhinhos! E é verdade; costumam funcionar.
E do Eusébio gosto pra caramba.
E do Figo também!

expressodalinha disse...

Eu gosto das miúdas que estão na foto e que têm passado na tv. Não sei se são portugas ou polacas, mas prefiro-as ao Eusébio. Qt a jogadores, Ronaldo é a máquina de futebol mais perfeita até agora inventada. Um verdadeiro jogador de play-station. Uma bomba. Não tem as mariquices do Messi, nem do irritante Barcelona. A maior trade mark de Portugal no mundo´cham-se CR7. Não esquecer que temos também o maior treinador do mundo (Mourinho) e maior agente do mundo (Jorge Mendes). Sim, alguma coisa está a mudar em Portugal. As crises fazem bem. E não é só o fado mudou. Basta ouvir os Novos Talentos FNAC. Basta saber que a música portuguesa, cantada em português, vendeu mais 16% do que no ano passado. Basta ouvir os Diabo na Cruz, os Paus, os Dead Combo, os Capitão Fausto... e um mar de gente nova que anda por aí para perceber que voltámos a ser país português sem necessidade de importar. Qt ao próximo adversário, tenho pena de não apanhar a Inglaterra que é o mais fraco. Não sendo possível, só tenho medo da Itália. Sempre a jogar mal e a chegar traiçoeiramente ao fim.

banzai disse...

que alento ler a lufada do professor Jorge, parabéns mestre.
É verdade, em campo, no primeiro e 2 tempo quem quer saber se são filósofos, vaidosos ou limitados culturalmente? Bah, estão em campo e não na academia Rui, para com isso, cada um no seu quadrado,rs...
madoka

Beto Canales disse...

Futebol é a coisa mais importante entre as menos importantes...

Erick Melino disse...

Muito bom o texto cara! sou brasileiro mas consegui entender bem! hahahaha se quiser depois de uma passada no meu humilde blog também (aventurasdeeumesmo.blogspot.com.br)
abraço!

Silvares disse...

Luma, Portugal tem sempre possibilidade de ser tudo aquilo que consegue sonhar mas... tem medo de sonhar alto demais. É coisa nossa.
:-(

Li, o Eusébio está com problemas de coração. Foi parar ao hospital e vão mandá-lo para casa. O melhor é ele não ver os jogos da selecção portuguesa nem pela TV, o homem sofre de mais!!!

Jorge, estou contigo em tudo o que dizes. Que Portugal mude de modo a conseguir ficar na mesma (isto digo eu).
:-)

Madoka, é isso que eu digo! Jogador de futebol é para dar pontapés na bola e para nós irmos com ele e atrás da redondinha. O resto interessa tão pouco que acaba por não interessar.

Beto, isso faz do futebol um bocadinho importante, não faz? Pelo menos serve para nos iludir o ego ao longo de hora e meia (de cada vez).

Erick, volta sempre!
:-D

cidadão exemplar disse...

odeio futebol!!!

Silvares disse...

Mas o futebol não te odeia, irmão. O futebol é bom e tu... não sei, não, tanto ódio assim...
:-D