terça-feira, abril 19, 2011

Merdas que trepam


Há merdas que trepam pelo juízo de um gajo acima e o deixam a pairar, sem apoio nem prós pés nem prás ideias. É mau, que um gajo fica assim, entre o completamente estúpido e o meio abananado. Até parece que levou um soco no meio do cérebro! Seja lá como for, há coisas bem piores.

Levar um bofetada é mau mas ser enganado é muito pior. Comer carne um pouco podre é mau mas passar fome é capaz de ser um pouco pior. Parece que tudo depende de uma escala de valores que sejamos capazes de estabelecer.

É a Teoria da Relatividade aplicada ao nível da sobrevivência humana. A nossa capacidade de encontrar aquilo que queremos para as nossas vidas. Pode ser obra do acaso ou resultar de uma profunda reflexão, fruto da nossa experiência de vida.

Há quem se sinta confortado por não ter uma vida pior que a do seu vizinho, ainda que seja uma vida aquém das suas expectativas. Há quem nunca esteja satisfeito com a vida que leva, mesmo que, aos olhos do vizinho, seja uma vida muito boa. É tudo relativo. Mas lá que há coisas que nos trepam pelo juízo acima e fazem vacilar a nossa capacidade de compreensão, disso não restam dúvidas.

5 comentários:

Beto Canales disse...

Acho que a pergunta que ainda vai salvar a humanidade será:
Pra que serve?

Sem utilidade, sem valor.

luisM disse...

Acho que não percebi muito bem onde querias chegar, mas o vinho também tem uma tendência muito grande para me trepar pela cabeça. E...Já reparei que ao meu vizinho do lado trepa muito mais depressa. Acho que é do lastro no estômago, o meu deve ser mais pesado, o dele mais ligeiro, daí ele vogar mais alto.

Talvez devêssemos deixar de ser tão amadores...
Mas podes crer que a capacidade de compreensão vacila grandemente. A minha vai resistindo, a dele torna-se problemática.

Isto para não falar do vizinho de cima, que, embora treine todas as noites, ainda fica com uma dose visível de compreensão, mas não a consegue melhorar.

E se referir o vizinho de cima do de cima, ainda é mais curioso. Não bebe, mas tem uma compreensão de lesma. Se calhar bebe às escondidas.

Não me posso ir embora sem referir o de baixo de tudo. Esse já nem compreende que bebe e vacila o tempo todo. Antes de beber é quando vacila mais, mas demonstra uns laivos subtis de compreensão.

De facto tudo é relativo ao teor de álcool e ao ritmo da dança dos copos, no pouco tempo de vida que temos...

expressodalinha disse...

Esse é o "princípio elementar do crédito".

luisM disse...

Nem mais...

Silvares disse...

Amigos meus, vivemos tempos de reflexão.