quarta-feira, dezembro 11, 2013

O bicho que roda

O ser humano é, por natureza, uma coisa que não se compreende. Isto porque, além dele próprio, não parece existir mais nada (nem ninguém) à pele do planeta interessado em debruçar-se sobre semelhante tarefa: compreender o que vai em cima destas duas patas.

Uns dias triste e sorumbático, qualquer um de nós pode subitamente saltar para um estado de espírito a rebentar de euforia. Somos assim; bichos de extremos fáceis.

Tais variações de humor, multiplicadas por milhões de milhões de seres humanos (quantos somos nós ao certo?) fazem da Terra uma coisa desequilibrada que, não tendo para onde cair na imensidão cósmica, roda. E roda, roda, vai rodando, como um animal à espera.

Mas o que espera a Terra enquanto roda sobre si própria e, para melhor disfarçar, enquanto vai rodando em volta do Sol? O que espera um planeta que se comporta como um animal, nervoso e indeciso?

Talvez espere que a Humanidade se consuma a si própria. Com maiores um menores ferimentos o planeta cá ficará depois de irmos desta para melhor (oxalá). Então talvez a Terra possa descansar finalmente e pare de rodar. Após tanto tempo deve estar mais que tonta.

4 comentários:

Luma Rosa disse...

Oi, Silvares!
Será que o ser humano não está correto em ser egoísta? Pois se não nos valorizarmos, quem o fará? O mundo começou sem o homem e terminará sem ele, simples assim. A terra está tonta e caduca...
Boas festas!!
Beijus,

Eduardo P.L. disse...

A terra roda para continuar redonda, e para não esparramar a água do mar. O resto é conversa!

Jorge Pinheiro disse...

Eu não sinto nada.

Silvares disse...

Luma, o Ser Humano está correcto se for... Humano.
:-)
Boas Festas para ti também.

Eduardo, o mar faz muita falta para guardar o peixe e tomar banhos no Verão.
:-)

Jorge, tenta um alfinete...
:-D