quinta-feira, setembro 06, 2012

Regresso a casa

Começo a recuperar o sentido do tempo tal como ele é marcado nos relógios de minha casa. Os primeiros dias, após uma viagem intercontinental, são sempre um tanto hipnóticos. É meia-noite e é como se fossem horas de jantar. Tudo indica que devia estar a dormir mas só acordado as coisas fazem uma réstea de sentido.

Entretanto o corpo vai cedendo ao cansaço, os sonos reorganizam-se de acordo com os movimentos indolentes do sol e da lua e percebemos que podemos declarar estarmos de regresso. Casa só volta a ser casa quando conseguimos dormir outra vez no tempo certo da noite.

Isto pode fazer com que coisas muito simples sejam complicadas e muito, muito irritantes. O quotidiano parece um donut cor-de-rosa derretido a um canto da sala ou um ramo de flores que ficou quinze dias na jarra com água e agora a água cheira a podre e as flores estão secas mas também molhadas. Vamos regressando mas nunca regressamos de uma assentada. É um processo parcelar e muito pouco metódico.

No primeiro dia sente-se um deslumbramento estranho. A televisão parece quase um teatro renascentista e a vizinha velhota do rés-do-chão é como se tivesse saído de uma super produção óliudesca de um filme de zombies tristonhos que, no entanto e apesar de serem zombies, falam com uma voz fininha que até parece que estão a atirar agulhas com uma pistola de vácuo.

Após uns quantos dias a estranhar as coisas mais banais sinto que, finalmente, regressei ao meu corpo. Sim, estou outra vez dentro de mim próprio. Estou mais gordo.

5 comentários:

Li Ferreira Nhan disse...

rsrsrsrs
Olha Rui, ouvi muito isso por esses dias passados.
Observar os disparates dos horários. As estranhezas cotidianas.
E a incrível semelhança; minha filha regressou um pouquinho mais gorda. Pra ela ficou bem!
:))
Beijos

Eduardo P.L disse...

Rui,
duas coisas se depreende da imagem: NY continua iluminada, a Kodack, apesar de tudo, continua viva, sua filha cresceu, e gordura de viagem se perde logo....

banzai disse...

Aparição rara do 100cabeças! A rotina também tem seu encanto, já dizia o poeta. Que o regresso ao corpo seja apraz.
madoka

expressodalinha disse...

Um bom regresso. Agora vou eu...

Silvares disse...

Caríssimos, após uns dias a tentar reencontrar o meu espaço no mundo real, estou de regresso ao mundo virtual. Espero voltar a marcar a minha presença com alguma regularidade.