sábado, maio 19, 2012

Suspensões



Tenho visto uns filmes.

Do chato ao banal, passando pelo estonteante, o perturbante e o extraordinário, de tudo um pouco tenho absorvido na escuridão luminosa do cinema.

Ontem fui apanhado de surpresa.
Fui ver Nana e Rafa, dois filmes, o primeiro mais ou menos longo, o segundo decididamente curto. O segundo passou antes do primeiro.

Quando Rafa segura ternamente o sobrinho e tudo está por desvendar (ou não?) o filme de João Salavisa, vencedor do Urso de Ouro para melhor curta-metragem na edição de 2012 do Festival de Berlim, fica em suspenso, o ecrã enegrece e... o espectador fica com muita história por contar, muita história para inventar.

Um filmezinho estranho que, tal como eu e tantos outros, vive nas costas do Cristo Rei e viaja para a sordidez das ruas da capital para ali não acabar.

Ainda o espectador não está refeito da súbita suspensão da narrativa de Rafa, já se encontra perante Nana, uma menina tão pequenina que mais parece um milagre a acontecer porque tem de ser.

Entrado no mundo rural do filme francês, senti-me a planar (não sei porquê, ou talvez saiba mas não diga, lembrei-me de A Árvore da Vida, de Terrence Malick) e por ali fiquei.

A narrativa é errática, a sequência das acções estrambólica, o filme desprende uma estranha magia que nos mantém expectantes até que... tudo fica em suspenso e, mais uma vez, dou por mim a tentar contar uma história a mim próprio.

Sinceramente, quando saí da sala, vinha meio anestesiado. Mais nada. Não sei se ainda estou sob o efeito da anestesia.

5 comentários:

the dear Zé disse...

então meu amigo, quando lhe passar o efeito da anestesia diga mais qualquer coisinha, a gente agradece...

Eduardo P.L disse...

Faz tanto tempo que não me anestesio com um filme!!!

Silvares disse...

Zé, vale a pena experimentar o efeito anestésico.
:-)

Eduardo, anestesia é, neste caso, um estado de espírito.
Não havia ninguém a comer pipocas na sala.

Era tudo gente a ver cinema, apenas, o que, nos dias que correm, é algo digno de nota!

expressodalinha disse...

Já viste o Intouchables?

Silvares disse...

Sim Jorge, já vi apesar do título em português (Amigos Improváveis).